A experiência de plantar uma árvore é algo pelo qual muitas pessoas já passaram, e certamente é gratificante. Queremos no Curupira levar um pouco desta experiência a todos, em uma escala de recuperação de áreas degradadas e com espécies nativas.

 

Mas como fazemos isto?

 

Para a recuperação de áreas degradadas, que sob a definição Curupira são áreas que eram originalmente cobertas por florestas e que estão, pelo menos desde 2010 (antes de existirmos), sem cobertura original.

 

Curiosidade: Quanto de terra neste padrão existe no Brasil? O Brasil tem mais de duas Franças (140 milhões de hectares) abandonadas e em processo de erosão. A região que usamos no momento é no município de Nova Mutum – MT, área de transição entre Cerrado e floresta Amazônica. Saiba mais aqui!

 

Foto Goolge Maps àrea Recuperada.

Área de recuperação. Fonte: Google Maps.

 

Após escolher a área, vamos escolher as espécies. Usamos somente espécies nativas da região e escolhemos 56 espécies entre as centenas que existem, muitas delas conhecidas popularmente como os ipês (rosa, roxo, amarelo), ingás (feijão, beira d´água), aroeiras (preta, sementeira) entre outras. Algumas menos conhecidas, mas igualmente importantes sob o ponto de vista de recuperação ambiental. Todas podem ser vistas no catálogo on-line Curupira.

 

Curiosidade: No Brasil existe cerca de 7.880 espécies arbóreas (conhecidas) com estimativa da existência de cerca de 11.120 espécies arbóreas somente na floresta Amazônica. Destas espécies conhecidas 472 espécies compõem a “Lista oficial das espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção;

 

Em paralelo temos que trabalhar o solo antes do plantio que é coberto, no nosso caso, com um gênero de grama chamada braquiária (ou brachiaria), pois é área de pasto.

 

Curiosidade: A grama do gênero braquiária comum na área de plantio do Curupira é originária da África e tem características invasoras, sendo muito difícil de combater. A grama tem que ser retirada e o solo adubado, mesmo depois do plantio a manutenção é constante, pois nos primeiros anos a braquiária pode ainda sufocar o plantio de árvores e exterminá-las. Sem a ajuda humana uma floresta não se recupera em um local usado como pasto com esta grama.

 

Na região que trabalhamos a época de chuva vai de Outubro a Março. Geralmente inciamos o plantio entre Novembro e Janeiro para evitar a irrigação artificial. Fazendo então o plantio das mudas no campo.

 

Curiosidade: 70% das chuvas no Mato Grosso se concentram entre o verão e outono.

 

O plantio do Curupira utiliza mudas produzidas na estufa própria, assim como por aquisição de produtores locais.

 

Curiosidade: O desenvolvimento de cada espécie é muito diferente. Em linhas gerais as árvores de madeira mais dura demoram mais para crescer ao passo que as madeiras moles crescem bem mais rápido. Por exemplo um Pinho Cuiabano (Schizolobium amazonicum) apresenta uma circunferência de 40 cm em 3 anos (a 1,5m do solo), ao passo que a aroeira-preta (Myracrodruon urundeuva) não chega a 7 cm nas mesmas condições. 

 

 

Área de plantio em Nova Mutum.

Área de plantio em Nova Mutum.

 

Plantadas, vamos agora monitorar cada árvore tanto para verificação do desenvolvimento como para a rede social com base no nosso portal.  O monitoramento fará a verificação das espécies invasoras, como a braquiária e pragas, como formigas e que devem ser manejadas para garantir a sobrevivência das plantas. Caso uma árvore venha a morrer a mesma será substituída sem custo adicional.

 

Para o portal  temos algumas etapas: fotografia, georeferência e etiquetagem, com etiqueta de rádio frequência (RFID), formando assim uma linha do tempo (timeline) de cada árvore. As fotografias individuais são tiradas a cada seis meses. Postamos também fotos e relatos de eventos que mostram a recuperação ambiental.

 

Página do cliente no Portal Curupira.

Página do cliente no Portal Curupira.

 

O portal permite ainda o agrupamento de árvores sob um mesmo cliente pessoa física ou jurídica, um link específico para cada árvore desta forma você e sua empresa pode demonstrar claramente sua ação ambiental.

 

Cada empresa possui um perfil individual de usuário, é possível a atribuição de uma árvore para outra pessoa, além da possibilidade de presentear pessoas e fazer amigos. Ligado as principais redes sociais o portal permite ainda que suas postagens sejam publicadas nas suas contas destas redes.

 

Mas, o que vai acontecer no futuro quando as árvores estiverem adultas? São desenvolvidas atividades econômicas que preservam as árvores, ou seja a floresta será mantida.  É assim que fazemos, dando uma ajuda para natureza se recuperar e para você ou sua empresa atingir seus objetivos.

Compre sua árvore (aqui) ou entre em contato para elaborar um projeto para sua empresa.

 

Ebook Gratuito:

ebook.guiaprimeiros passos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Written by Wellington Machado