O século XXI já pode ser considerada a era onde os cuidados com o planeta passaram a ser urgentes. Na primeira década, segundo os dados da análise da Nasa, o planeta está 1ºC mais quente do que na média do século passado.

 

A NOAA ( National Oceanic & Atmospheric Administration) organização que faz parte do Departamento de Comércio dos Estados Unidos, identificou um aumento de 0,9ºC mais quente do que a média do século XX. É a maior temperatura registrada nos últimos 136 anos, quando começaram as medições.

Segundo dados da agência americana, 15 dos 16 anos mais quentes já registrados, ocorreram no século XXI. Isso é um indício claro de que estamos vivendo em uma situação critica de aquecimento global.

aquecimento-global-emissões

Gráfico da Nasa mostra aumento de temperatura no planeta. Aquecimento global faz com que 2015 quebre o recorde de calor já registrado (Foto: Nasa)

Estudiosos analisam os efeitos do aquecimento global, não somente do ponto de vista ambiental, mas econômico também. O aquecimento do planeta não é bom negócio para ninguém. O mundo corporativo sempre teve que se antecipar aos acontecimentos. Desde que o planejamento estratégico foi adotado pela maioria das empresas, estar preparado para problemas é a receita para amenizar impactos no negócio e a sua sobrevivência.

Saiba mais sobre desequilíbrios econômicos causados pelo aquecimento global>>>

 

Projetos de Sustentabilidade. Do que se trata afinal sustentabilidade?

 
As empresas a tempo aplicam práticas de sustentabilidade para de alguma forma ajudar combate aos desequilíbrios causados pelas pessoas ao planeta. Vamos conhecer um pouco mais sobre o conceito.

“Sustentabilidade corporativa é a abordagem de negócios que cria valor de longo prazo para clientes, funcionários e a sociedade. Isso ocorre por meio de uma estratégia de longevidade da empresa, que inclui a redução de impactos ambientais, a contribuição social, a atuação ética e a transparência”

 

 

Como é construída?

 
Diferente de uma disciplina altamente padronizada, a sustentabilidade corporativa precisa ser pensada no contexto de cada empresa. Veja alguns itens nos quais sua empresa pode apoiar suas ações:

Sociais (exemplos): Programas educacionais e de formação de funcionários, inclusão de pessoas com deficiência, qualificação de jovens, investimento social na comunidade de entorno;

Ambientais: Eco eficiência e otimização e redução do uso de matérias-primas, água e energia, reciclagem e destino correto de resíduos, contrapartidas ambientais,  compensação de emissões de CO2e;

Econômicos: Participação de clientes e comunidade no desenvolvimento de novos produtos,  pagamento correto de impostos e obrigações legais, postura ética e favorável à livre concorrência, atendimento exemplar às reclamações e sugestões de consumidores.

 

Unilever e suas causas sustentáveis. Veja o vídeo.

Mas colocar a sustentabilidade no dia a dia da maioria das empresas é um desafio. Vamos dar algumas dicas que podem ajudar a dar um start nesta missão, caso você entenda como vantagem estratégica.

Leia mais sobre sustentabilidade como vantagem estratégica>>>>

Relação de seu negócio com práticas sustentáveis.

 

É importante antes de abrir frentes de sustentabilidade buscar onde seu negócio pode ser relevante e gerar impacto. Exemplificando se seu produto utiliza prioritariamente o recurso água, é sensato que a empresa abra frentes para que este recurso seja preservado, renovado, garantindo assim o futuro do seu produto.

É uma ótima forma de iniciar uma política de sustentabilidade e que pode gerar engajamento das lideranças, visto que atua diretamente no negócio.

Outra forma é engajar-se em problemas que afetam a sociedade como um todo, como o aquecimento global. Estamos caminhando a passos largos para uma economia de baixo carbono, e tomar conhecimento de suas emissões é o primeiro passo para um futuro que exigirá medidas urgentes e recompensará ações de combate às mudanças climáticas.

Saiba mais neste post: Projetos de neutralização: desafios e oportunidades>>>>

Após é possível atacar em diversas frentes, como emissões de GEE, educação, programas de inclusão, proteção e recuperação do meio ambiente, entre outras, colocando a sustentabilidade como valor perene na organização.

Como vimos, no vídeo, a Unilever relaciona diretamente seus produtos a causa mais próxima dele, pensando de maneira estratégica suas ações sustentáveis.

Olhando para dentro, a gestão ambiental pode prevenir problemas, economizar recursos financeiros e promover o clima organizacional. Carona solidária é uma prática que reduz gastos com combustível e emissão de poluentes e deve ser incentivada. A instalação de um bicicletário na empresa pode motivar os colaboradores a utilizar os carros somente para passeios com a família nos fins de semana. Boa ideia, não é?

O que você acha de passar um dia com os seus filhos e seus colegas de trabalho plantando mudas em uma área degradada, que necessita de atenção e recuperação ambiental? Algumas empresas já adotam esse “lazer” como forma de sensibilizar os colaboradores para as questões ambientais/sociais.

 

E       S       T       R       A       T       É       G       I      A
NEGÓCIO >> CAUSA URGENTE A SER COMBATIDA >>AÇÕES

 

E você já pensou em como relacionar seu negócio a uma causa importante? Nós do Curupira podemos te ajudar, nossas frentes de sustentabilidade podem agregar valor a seus produtos assim como em ações de relacionamento com clientes e stakeholders, produto, brand content e projetos colaborativos.

 

Vamos transformar uma boa causa em um bom negócio? Entre em contato, clique e acesse: Quero fazer parte da mudança! >>>

 

 

 

Written by Denis Trindade