novembro 27, 2015 Cases Nenhum Comentário

No mês de novembro a equipe de campo do Curupira avistou uma onça na região que estamos recuperando, no Cerrado. Pelo que vimos trata-se de um macho novo e durante dez dias, ele foi visto seguidas vezes. 

 
Conhecida também como jaguar, onça-pintada e onça preta (segundo análises genéticas todas pertencem à mesma espécie) o animal de hábitos solitários praticamente habita do México até Argentina e tem uma característica interessante: a peregrinação de longas distâncias.

image1

Pegada do felino na área em recuperação.

 

Segundo Alan Rabinowitz , o mais destacado especialista em onças-pintada do mundo e líder do projeto de estudo de comportamento do animal, O Paseo de Jaguar , a onça tem o poder de percorrer grandes distâncias, mas somente em lugares onde a vegetação está conservada.

Inclusive os estudiosos sabem que elas atravessam a nado o canal do Panamá, em sua peregrinação pelas Américas. A presença do animal é um indicador interessante de conservação, mas apesar de tudo, o caminho das onças esta comprometido pelo desmatamento.

Desde o século passado os bons habitats para onças decresceram em 50% e os corredores em 16%. Além disto, o felino enfrenta outro inimigo: o ser humano que ainda vê no animal um inimigo mortal.

Onca

Apesar dos nºs negativos os estudiosos acreditam que ainda é possível criar ações para que o animal não entre em extinção. Uma delas é preservar as áreas, ou corredores, onde elas passam, além do trabalho de educação para que as pessoas percam o medo e respeitem os hábitos naturais do felino.

O Curupira se alegra com a presença do animal na área em recuperação, mostrando que o trabalho de recuperação, apesar de longo, já está dando frutos.

Saiba Mais sobre nosso projeto: http://promo.curupira.com/projeto-ambiental-curupira.

Written by Denis Trindade