“A Ecological ID, braço de sustentabilidade do Grupo Ibope, realizou uma pesquisa com 502 pessoas do Brasil inteiro para identificar e quantificar o apelo da ideia de comprar imóveis, ou outros bens duráveis/consumo,  de empresas que façam compensação financeira sobre a emissão de dióxido de carbono, tanto considerando as empresas desses segmentos quanto levando em conta o público internauta.

 

Algumas conclusões da pesquisa:

A ideia de comprar bens de consumo, bens duráveis e imóveis de empresas que façam compensação financeira sobre a emissão de dióxido de carbono tem apelo significativo para a população internauta.

Entretanto, para esse apelo se converter em negócios é necessária uma comunicação dirigida que, em primeiro lugar, explique melhor sobre o assunto “créditos de carbono”, uma vez que ele não é ainda de amplo domínio público.

O presente estudo também não considera cenários de preços, promoções, condições de pagamento e qualidade, fatores esses que são importantes no processo de decisão de compra e que podem interferir na viabilidade da compensação financeira sobre a emissão de dióxido de carbono.

Além disso, o caminho será ainda mais viável se a empresa divulgar de forma contundente tanto os impactos que a produção traz ao meio ambiente quanto as ações que a empresa realiza para diminuir o impacto ambiental (que é onde a compensação com créditos de carbono pode ser inserida).

Esse apelo pode ser demonstrado pelo interesse declarado dos respondentes, reforçada pelos seguintes indicadores:

  • Alto grau de interesse nas questões relacionadas ao meio ambiente;
  • Preocupação demonstrada quanto ao aquecimento da Terra;
  • Alta demanda na exigência das empresas se preocuparem com os impactos ambientais que causam;
  • Percepção de que a compra de produtos ambientalmente corretos não é um “privilégio das classes ricas”;
  • Percepção de que a preocupação com o meio ambiente não é monopólio das “empresas lucrativas”;
  • Alto interesse na inserção dos créditos de carbono no processo de compra de bens de consumo, bens duráveis e imóveis.

 

Os respondentes da Região Sul e os com maior idade tendem a ser mais receptivos ao assunto, enquanto os situados nas regiões Norte e Centro-Oeste tendem a ser um pouco mais distantes. Veja a pesquisa completa neste link: Pesquisa Ecological ID – IBOPE. 

Written by Denis Trindade